728 x 90

Fragmentos do lugar - uma construção do olhar, fotografias de Paulo Mello

  • Cultura
  • 30/11/2017 - 11:33
  • 232 Views

Em analogia ao conceito de lugar, usualmente empregado na arquitetura, os espaços se tornam lugares a medida que os definimos e os atribuímos significados, ou seja, adquirem o sentido de lugar segundo o tempo que dispendemos em os conhecer, em os vivenciarmos e, consequentemente, assim os dotarmos de valor. Deste modo, aplicado a este recorte da produção do fotógrafo Paulo Mello - a partir de temas de investigação recorrentes: sítios naturais paradisíacos ou consolidados pela ocupação humana em agrupamentos urbanos, esta mostra tem por conceito a consolidação da investigação estruturada segundo as vivências deste artista, na busca por captar e, assim, eternizar a identidade de realidades distintas, bem como inter-relacionar cenários diametralmente opostos como o deserto do Atacama, a Patagônia, as cidades: Budapeste, Cidade do Cabo, Cusco, Lima, o Porto e o museu Guggenheim, em Bilbao.

A fotografia de Paulo Mello, desenvolvida segundo apropriações do espaço, em cenários diversos, além de estabelecer sensível, oportuna memória das vivências deste profissional, num relato apurado do processo de investigação e na busca por novas possibilidades do fazer artístico, também eterniza fragmentos da paisagem, cuja função equivalente nos remete à moldura de uma obra. Quanto a este aspecto relevante do fechamento da paisagem num fragmento de si mesma, eis o pensamento de Anne Cauquelin:
"Trata-se simplesmente de uma questão de definir, de delimitar um fragmento com valência de totalidade, sabendo que só o fragmento dará conta do que é implicitamente visado: a natureza em seu conjunto."
pg.138. A invenção da paisagem - Anne Cauquelin.

Em sua investigação, a partir de temas recorrentes: sítios naturais paradisíacos ou consolidados pela ocupação humana, Paulo Mello estabelece novas possibilidades de vínculos e narrativas, segundo as próprias experiências vivenciadas, em ambas as realidades. Neste propósito de interação com o espaço, a despeito de todas as suas características e peculiaridades intrínsecas, eis o artista interagindo com o objeto de investigação, alterando-o com sua vivência e, portanto, resignificando-o e atribuindo-lhe valor, em razão de sua simples presença e do tempo dispendido decorrentes deste processo do fazer artístico.

Serviço:
Fragmentos do lugar - uma construção do olhar, fotografias de Paulo Mello;
Curadoria: Fábio André Rheinheimer;
Abertura: 03 de dezembro, das 16h às 18h30;
Visitação: 04 de dezembro de 2017 a 14 de janeiro de 2018, terça a domingo, das 10h às 19h;
Café do MARGS - Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Praça da Alfândega, S/N, Centro Histórico, Porto Alegre RS.

Divulgação: Fábio André Rheinheimer
Fotos: Paulo Mello